domingo, 17 de março de 2013

Você ja' fez a sua obra-prima?

A cada visita de museu que fazemos vemos varias obras-primas.
Até ai' tudo bem.
Mas o que é uma obra-prima? (Ou chef d’œuvre en francês.)

Na Idade Média, uma obra-prima qualificava o trabalho que um artesao tinha que realisar para obter e adquirir o dominio de uma arte que lhe daria o direito de trabalhar de maneira autônoma.
A obra-prima a sera realizada dependia da profissao : escadas, trabalhos de carpintaria, moveis... Esta obra-prima permitia a estes artesaos de ter acesso a um nivel mais elevado em sua profissao e a um reconhecimento junto de seus pares.

Os escultores e os pintores também tinham que realisar sua obra-prima nos séculos 17 e 18 para subirem na profissao e entrrem na Academia. A Academia é sociedade de artistas que estava ao serviço da Corte. Esta sociedade favorizava a divulgaçao e o ensino das arte. Realizando sua obra-prima o artista podia assim começar a ser conhecido e a receber encomendas dos grandes do reino.
A obra-prima permitia de avaliar o dominio que um jovem tinha de seu oficio : perspectiva, profundidade, textura, desenho anatômico.
A Academia ainda existe, ela se transformou conforme o tempo foi passando. A instituiçoa mais proxima desta que falo é a Academia das Belas Artes.

Realizar uma obra-prima era fazer o concurso para entrar na Academia. Era realizar uma obra que respeitasse estes cânones da arte e que seguissem os gêneros de pintura oficiais : pintura de historia, retrato, paisagem, cena de genero, natureza morta.
A Raia, Jean-Siméon CHARDIN (Paris, 1699 - 1779)

Os trabalhos realizados para entrar na Academia eram os morceaux de réception (obras de aceitaçao).
Algumas destas obras realizadas para entrar na Academia estao conservadas no Museu do Louvre.
Como a Raia do Chardin, aqui ao lado.

Até a Renascença o pintor era um artesao como outros (capinteiros, ebenistas, etc). A partir desta época ele virou um artista e recebe começou entao a ter uma importância maior à sua personalidade e à sua criatividade.
O artista tem mais liberdade que o artesao, ele pode inventar figuras e cenas, desde que responda aos padroes artisticos que os notaveis esperavam ver nas pinturas.

Hoje em dia a noçao de obra-prima ultrapassou a noçao inicial.
Uma obra-prima tem de mostrar a maturidade e a criatividade do artista, seja ele um pintor, um escultor.
Mas para ser qualificada como tal ela tem também que ser aceita no meio artistico e passar (ou ultrapassar) o julgamento dos criticos de arte, que também começaram a aparecer durante o Rensacimento. O estatuto de obra-prima pode ser adquirido depois de muitos anos, devido aos historiadires da arte, aos novos criticos de arte, a outros artistas, etc e tal.
Quanto mais popular uma obra é junto à estes notaveis que decidem o mercado da arte, ou administram a Academia, os museus, quanto mais opinioes favoraveis e louvaveis ela recebe, a obra vira uma obra-prima.
Final da época helenistica
(+- 130-100 av. J.-C.)
Por isso existem obras primas onde nao se conhece o artista nem em quais condiçoes a obra foi realizada. Como a Vênus de Milo. A obra é super famosa, mas ninguém sab que a esculpiu, num muito bem porque. Mas ela é maravilhosa.

Uma obra-prima pode entao ser uma desde sempre, desde sua criaçao, ou se tornar uma com o tempo.

Por isto nem todas as obras presentes em um museu sao obras-primas, mas a grande maioria das obras-primas conhecidas estao nos museus.


2 comentários:

Amanda disse...

Uau, muito legal! Eu achava que obra-prima era a obra mais reconhecida do artista, tipo sua peça principal. Valeu pela explicaçao!

Croissant Land disse...

De nada!
E', tem coisas assim que eu gosto de saber e vou publicar aqui aos poucos.